Colunas Dica do Cazolari Especiais

Treinou muito mas treinou errado

Compartilhe o link dessa notícia: https://yoksutai.com/jSrND

Tão importante quanto a técnica, o preparo físico de um lutador é essencial. Um bom lutador técnico consegue usando a malandragem, 
experiência se for o caso, anular a força e a vontade do oponente, mas até para isso ele irá precisar ter um bom preparo. Para quem não leu meu primeiro texto aqui no Yoksutai “Não é só força” é legal ler pois um irá complementar o outro.

Em nosso esporte a preparação passa pelo período de MANUTENÇÃO, onde sua luta ainda está longe, onde o mantemos trabalhando, condicionado mas sem aquele “foco” final.

Clique e seja um caveira, assine o Yoksutai

Temos a semana que antecede a luta onde acontece o corte de peso e recuperação da musculatura para chegar 100% no grande dia, nessa semana devemos diminuir a carga de treinos e evitar o contato físico afim de não se lesionar. Quer se “queimar” com promotor? Ligue na semana da luta dizendo que seu atleta se machucou treinando e não poderá lutar.

Aqui iremos abordar aquele período de real preparação para uma luta, que pode variar de acordo com cada treinador, da importância da luta, etc, mas para um atleta que vem fazendo uma boa manutenção 3 a 4 semanas é suficiente, é o período onde o atleta vive o inferno na Terra, come, dorme, respira treino.

Qualquer esporte seja ele qual for o atleta precisa estar bem preparado, no Muaythai se torna ainda mais afundo, aqui o quesito preparo físico está ligado diretamente à pontuação do esporte, se o atleta “morrer” durante a luta além de diminuir seu rendimento os juízes estarão observando e levando isso em conta como critério de julgamento. Você precisa estar forte o tempo inteiro ou pelo menos demonstrar estar, aquele bom e velho teatro que o lutador encena para não ser prejudicado nas papeletas.

É um esporte onde não ganha quem faz mais gols ou mais cestas, e sim, ganha o mais forte, o mais equilibrado, o mais resistente, isso num conjunto. Lógico que deve-se saber usar esse preparo e pontuar, usar os golpes corretamente, ACERTAR o oponente, mas precisa ficar claro que as capacidades físicas aqui tem um peso grande no resultado final.

Um dos princípios do treinamento esportivo é o princípio da especificidade, onde basicamente diz para analisar o que você pretende 
competir, quais são seus objetivos para aí sim montar um treinamento adequado para que os atenda.
Ex: Se você vai competir basquetebol você não precisa treinar chute a gol. Esse é um exemplo bem absurdo mas serve para entender a ideia que quero passar.

Primeiro passo então é entender o que é uma luta de Muaythai. Numa luta sem KO são 23 minutos do gongo do primeiro round ao gongo final, onde estão divididos em 5 rounds, de 3 minutos por 2 minutos de descanso, e em cada round intercalam-se momentos de ação por momentos de estudo. Vamos supor que  se cronometrarmos só as ações dos atletas não chegaria a 10min em média, ou seja, numa luta nosso corpo trabalha prioritariamente no sistema ANAERÓBIO, picos de ação onde geralmente usamos força máxima ou próxima por momentos de “relaxamento”.

Esse “relaxamento” é primordial um atleta ter em mente, sabe aquele balanço que seu professor deve te cobrar, então, você precisa entender como isso funciona. No Muaythai é importante bater duro, receber mais duro ainda mas entre as ações relaxar a musculatura, aprender a respirar, e enxergar o jogo, difícil explicar, é duro mas é solto, tudo no momento certo. Ficar tenso durante os 5 rounds sem parar não há musculatura que suporte, irá acabar a luta e terá a sensação de ter sido atropelado por um trem, as vezes nem pelas pancadas e sim da tensão desnecessária somada a adrenalina natural da luta.

Além de entender como se desenrola a luta, precisamos ter em mente o tipo de lutador que tenho em mãos, suas características, assim como as do adversário que irá enfrentar. O Muaythai é um esporte bem complexo com infinitas possibilidades e cada luta tudo deve ser levado em consideração para que se extraia ao máximo o que seu atleta pode render, levando sempre em consideração parte física, técnica, plano de luta e tudo que a envolve.

Vamos lá, precisamos de MUITA potência (Força x Velocidade) para nossos golpes serem contundentes que é um outro quesito importante de pontuação; Muita Força e Equilíbrio para nos mantermos posturados atacando e defendendo; Resistência Muscular para conseguir MANTER essa força durante a luta principalmente se a luta for para o trabalho de clinche; e também importante porém numa escala menor vendo a luta como um todo, a Resistência Aeróbia ou Resistência Cardiovascular.

Sabendo isso qual o sentido de correr 15-20 km todos os dias para lutar Muaythai? O segredo não é quanto mais correr melhor, não funciona assim. Não estou falando que a corrida não é importante, pelo contrário, é, e é muito, porém temos que saber correr, você não vai disputar uma maratona você vai lutar Muaythai! Correr grandes distâncias não te fará mal, simplesmente não irá te ajudar da forma que imagina. Pensando em especificidade você está desgastando seu corpo e seu tempo em detrimento do que realmente fará a diferença.

A prática da corrida é essencial para um lutador, mas vamos deixar aquele “corridão” somente para um dia ou outro. A ideia é aproximar o 
estímulo da corrida à realidade da luta para potencializarmos esses benefícios. Correr de 5 a 6km numa intensidade alta, ou uma outra opção interessante é utilizar treinos de alta intensidade intervalados como correr no tempo da luta 5 rounds dividindo 3 min de corrida FORTE com intervalo de 2min num ritmo mais lento, ou ainda pode ser feito numa sessão de treino o “Protocolo Tabata”, onde a proposta é fazer 20s de atividade em máxima intensidade por 10s de descanso até somar 4 min. Esse protocolo se assemelha bastante ao que acontece na luta e pode ser feito das mais variadas formas como chutes no aparador num último round desse trabalho, no tiro, enfim é só usar a imaginação.

Ainda temos essa questão dos tiros (com pneu ou sem nada), escadaria, subidas. Esses são trabalhos importantíssimos para um lutador de 
Muaythai que irão elevar sua frequência cardíaca próximo a máxima e garantirá um bom trabalho muscular principalmente de membros inferiores. 

Só lembrando que quem não está acostumado a isso deve-se tomar cuidado, costumamos  fazer esses trabalhos depois do treino com o corpo já bem desgastado e isso pode levar a sérias lesões. Por isso a importância da periodização. Adapte seu corpo com inteligência!

Mesma lógica vale para o trabalho de aparador e saco de pancadas, bater durante 40 minutos sem parar por exemplo, ou você é um alienígena ou está fazendo isso errado. A não ser que o intuito desse trabalho seja correção ou ensinar movimentos, agora se a ideia é preparação para luta ao invés de bater 40 min com uma força moderada bata por rounds com tempo próximo ao de luta com MÁXIMA FORÇA, não tem essa de economizar, cada chute tem que ser para arrancar o braço de seu treinador, fazer com que seu corpo chegue ao limite pois é isso que acontece na luta. Você luta o que você treina, se você bate 40 min com força moderada na hora da luta quando der 5 golpes na máxima força seu gás irá para o ralo.

Ainda temos a questão do clinche, que é um pesadelo para alguns, onde além de precisar saber o que está fazendo, posicionamento, pegadas, detalhes, atalhos, projeções e travas você deve estar condicionado para isso e nada melhor do que clinchar, clinche mas clinche muito, não se preocupe com tempo, sabe aquele velho ditado “Só fica forte quem faz força!”, pois é, enquanto seus antebraços não estiverem inchados, sua mão tremendo, não está bom. Faça força, aqui também não existe meia força, o joelho você alivia para não machucar o colega, mas as pegadas faça força, as vezes já não tem mais aquela força do início do treino mas use o que tiver disponível. Isso claro, para atletas que saibam o que estão fazendo, se ainda está cru nessa questão, ainda está naquele negócio de se pendurar no pescoço e ficar pendurado como se fosse um poleiro, CALMA, primeiro treine, aprenda as técnicas, deixe a força de lado por enquanto, aqui estou considerando ATLETAS que estão em preparação para uma luta, ok?

E sabe aquela barra e aquele peso para treinar pescoço que estão te esperando todo final de treino? Pois é, na hora eles parecem seus inimigos mas são seus maiores aliados, não cabule essa parte do treino não finja que já fez o número de séries que seu treinador mandou você não está o enganando, está boicotando a si mesmo, isso com certeza faz a diferença e pode te salvar literalmente.

No MMA 99% das lutas se tem um especialista em chão ele uma hora ou outra irá te derrubar, no Muaythai é a mesma coisa se estiver lutando com um muaykhao preparado uma hora ou outra ele vai te pegar, não tem jeito e se isso acontecer e você não estiver preparado meu amigo ore bastante porque ele não vai te soltar até te nocautear. Lutar Muaythai e não treinar clinche é brincar de roleta russa, pode dar certo mas também pode dar muito errado.

O treino de Muaythai é diferente de outros esportes onde faz-se um trabalho técnico e físico separadamente. Parte técnica e física se misturam numa mesma sessão de treino. Os tailandeses complementam a parte física basicamente com a corrida, barra, flexão, abdominal, pescoço e trabalho de saco. Eles não estão errados, eles adaptam há anos essa parte física com o que tem facilmente disponível na academia, e não sei se propositalmente ou não, eles atendem ao princípio da especificidade já que são exercícios que te ajudarão na luta. Porém hoje estamos avançados em relação a treinamento físico e não é errado variar movimentos com um mesmo objetivo, continuar fazendo a barra, abdominal, que são essenciais mas podemos e devemos sim somar exercícios a isso, como exercícios de ferro, pliométricos, entre outros que com objetivo certo só tem a somar.

Lembrando ainda que o descanso e boa alimentação são essenciais para uma boa preparação.

Tenha essas dicas em mente, para não descer do ringue se questionando, “ué mas treinei tanto para essa luta por que eu cansei?” A resposta pode estar aí, treinou muito, mas treinou errado.

Felipe Cazolari
Segue lá

Felipe Cazolari

Professor de educação física, treinador do ano em 2016, fundador da Warm Up, constrói academia, é casado, e ainda cuida de 3 cachorros. Fale com ele no cazolari@yoksutai.com, ou no facebook aí do lado.
Felipe Cazolari
Segue lá

Últimos posts por Felipe Cazolari (exibir todos)

Vire Caveira

Comments

comments

One comment

  1. Top a matéria tem um artigo científico de um italiano de nome Antonio Crisafulli “Physiological responses and energy cost during a simulation of a Muay Thai boxing match” sobre o sistema energético utilizado no combate de Muay Thai e ele Vai de encontro com algumas coisas expostas pelo Professor Cazolari! Quem interessar pode achar parte do artigo na net. Ou entrar em contato por email que mando o trabalho!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *