Especiais Notícias

Campeão promete abandonar a aposentadoria

Compartilhe o link dessa notícia: https://yoksutai.com/DNx8U

Pouco mais de 4 anos depois que pendurou as luvas, Thiago Teixeira mandou uma mensagem avisando:

“Precisamos falar sobre meu retorno aos ringues”.

Confesso que a notícia me pegou de surpresa. Após vários anos morando na Tailândia, 4 cinturões e quase 100 lutas nas costas, Thiago vinha brigando para encontrar um caminho desde que voltou ao Brasil.

Tentou focar no MMA, treinou jiu-jitsu, mas uma sequencia de lesões no punho e virilha o fizeram voltar para o muaythai.

Depois foi dar aulas, fez apenas uma luta e após uma longa depressão, trocou de academia e vinha trabalhando como treinador em sua primeira equipe, a Steel Team, onde, juntamente com seu professor Ivam Batista e Daniel Natel, vinham coordenando o treino profissional da melhor equipe de 2017.

“Não tinha mais expectativa de um amanhã. Primeiro veio minha lesão no punho direito, caí de moto bati o joelho, sem médico, sem convênio, um ano para ser atendido no SUS. Depois veio minha depressão e aí virou uma bola de neve, tinha medo de ir treinar, de fazer as coisas cotidianas da vida. Tive um ano saindo muito para baladas eletrônicas e usando drogas, mas conheci a Agatha [namorada] e acabei parando com tudo”.

Thiago conta que voltou ao Brasil em 2013, mas todos os dias pensava em voltar à Tailândia, porém, com a mão lesionada, disse que está há 3 anos aguardando na fila pelo tratamento.

Contudo, a rotina mais regrada, segurar aparadores e repassar o conhecimento fez bem. Thiago falou que não está totalmente recuperado mas está retomando seus sonhos e, voltar a lutar, pode ser uma motivação extra para se manter longe da depressão.

“Não posso falar que estou 100% da depressão mas voltar a lutar está me animando todos os dias para dar meu melhor nos treinos, vamos dizer que eu voltei a sonhar. Estou com 30 anos e até os 35, me cuidando, vou lutar e quero ser campeão”.

Última vez que o encontrei Thiago estava pesado. Como o conheço desde os 60 e poucos quilos, imaginei que estaria com quase 100kg.  Cheguei perto e no dia ele me disse que estava com 98kg.

Porém, quando me disse que voltaria a lutar, a primeira pergunta que me veio a cabeça foi em qual categoria? Perguntei 84kg, imaginando que voltaria em 75 ou 77kg, mas lutando muaythai ele poderia até ficar como peso pesado mesmo.

Ele me respondeu que vai se focar no kickboxing, pensando primeiramente em competir no WGP, mas que seu foco é o Glory.

“Eu estava com 101kg mas já perdi 17kg em pouco mais de 3 semanas treinando. Acho que em mais um mês estarei no peso que quero segurar. Nada de 84 ou 77kg, pretendo voltar nos 70kg”.

O campeão avisa que os planos são para 2019 e provavelmente terá seu primeiro teste no desafio no Desafio Jab Direto organizado por Ivam Batista previsto para março de 2019 no ginásio do Ibirapuera.

“Ele me pediu para lutar muaythai contra um gringo. Não devo mais lutar muaythai mas talvez aceite essa luta para ver como vai ser minha mão, se ela vai aguentar sem quebrar. Só testando mesmo, mas voltando a lutar devo aceitar tudo que aparecer”.

Thiago tem a seu favor a experiência, uma sólida carreira internacional no muaythai, além de ter um mão realmente perigosa. Resta ver como será sua adaptação às regras e ao condicionamento do kickboxing.

Financie o Yoksutai, Vire Caveira.
Inscreva-se em nosso YouTube e siga-nos no Instagram.

Leo Monteiro
Segue lá

Leo Monteiro

Escrevendo, fotografando, filmando, editando, promovendo e fazendo esse tal de muaythai chegar ao próximo nível.
Leo Monteiro
Segue lá
Vire Caveira

Comments

comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *