Dica do Cazolari | Não é só força

Dica do Cazolari | Não é só força

12/01/2017 1 Por Felipe Cazolari

Felipe Cazolari, que está construindo uma sólida carreira como treinador, vai colaborar com o Yoksutai escrevendo sobre muaythai e treinamento. No currículo ele tem cinturão do Portuários, da Feplam, melhor atleta 2015 pela AMTI, treinador do ano 2016 pelo Yoksutai, e por aí vai. Mas, como ele trabalha como professor de educação física, dá aulas de muaythai, é criador da Warm Up, viaja com seus atletas, constrói academia, é casado, e cuida de 3 cachorros, ele vai escrever quando der.

Se quiserem acompanhar mais sobre o trabalho do Felipe, ao final do texto tem sua página facebook (não esqueça do seu like). Espero que gostem, e confiram aí o primeiro Dica do Cazolari.

Leo Monteiro
Produtor Yoksutai
_____________________

Bater forte é essencial, é importante, mas não é só isso.  Todo golpe tem que ser forte e isso já sabemos, é a base da pontuação do esporte, conhecer as regras é essencial para saber o que está fazendo e deve-se não só lutar mas treinar em cima delas. Vejo gente se apegando de um jeito a força e esquecem do resto.

Apenas força vai te desgastar. Soltando golpes sem necessidade você pode até se machucar batendo. No treino use a força aliado a esses três pontos :

  • COMO bater: técnica do movimento, IDA e VOLTA, fazer com que determinado movimento entre com o intuito de causar o maior dano possível, biomecanicamente falando, cada golpe tem sua maneira correta de entrar para potencializar esse dano. E tão importante quanto a ida, é a volta equilibrada, a fim de poder se defender ou continuar atacando;
  • ONDE bater: o corpo é uma estrutura complexa com pontos mais fortes e fracos. Saber bater nesses locais pode fazer chegar a um KO mais rápido. As vezes um golpe no lugar “certo” resolve mais do que 5 aleatórios.Lógico que muitas vezes acontece o golpe de sorte, mas o lance é pensar em começar a treinar essa “sorte”. Bater um direto na linha de cintura, no meio do abdômen, dá um resultado. Na chamada “boca do estômago” é outro. Pode-se treinar por exemplo no cinto batendo aparador. Comece a OLHAR ONDE está batendo e não simplesmente bater em qualquer lugar.  E isso vale para todos os golpes.

    Na luta precisa-se de calma e visão para conseguir enxergar e fazer, mas treinando já é um bom começo. Sabe aquele cara que bate pouco mas parece que sempre bate no lugar certo? Pois é, sinto informar que provavelmente não seja sorte e sim TREINO. Você luta o que você treina, SIMPLES;

  • QUANDO bater: Esse acho que seja o mais difícil, não adianta ter força, técnica, saber onde bater se você não tem o tempo de luta, o tempo de bater para o golpe entrar inteiro, limpo. O chute pega sempre no final, bate o soco sempre na distância errada, nunca acha o tempo do joelho na luta, o cotovelo então nem se fala…Milésimos de segundo é a diferença de um golpe entrar inteiro na hora certa, ou cedo de mais, ou atrasado. E isso também se treina.

Algumas pessoas vão ler e falar: “Ah, esse cara é um teórico, o negócio é meter a porrada”. OK, continuem com esse pensamento, mas lembrem-se que em alto nível a diferença está nos detalhes. SEMPRE que estiver treinando tenha isso em mente FORÇA, COMO, ONDE, e QUANDO bater, PENSE durante o treino.

Coração e vontade são essenciais na luta, mas se conseguir pensar durante o treino, fora daquele transe durante a luta – quando você está querendo arrancar a cabeça do coleguinha – seu corpo estará condicionado a fazer o certo, e não sair batendo igual um maluco pra todo lado.

Treinadores estimulem isso em seus atletas.

Por Felipe Cazolari
Líder da Cazolari Thaiboxing

Cazolari Thaiboxing